Fiscalização noturna da Força de Segurança percorre Centro e bairros em favor da vida

No começo da pandemia, em março, até dezembro de 2020, a Força de Segurança atuou em mais de 40 finais de semana, totalizando aproximadamente cinco mil visitas

Sensibilizar a população em época de férias e do calor de verão não é tarefa das mais fáceis, ainda mais em tempos de "relax" de ano novo. Mas a Força de Segurança do Gabinete Emergencial de Prevenção e Acompanhamento ao Coronavírus não descansa e permanece desempenhando seu papel de proteger a vida com o rigor dos pontos dispostos em decretos e portarias estaduais e decretos municipais (decreto nº: 1.027, do Governo do Estado e os números 17.970 e 18.146 do Município).

Na quinta-feira (7 de janeiro), a Serra Catarinense foi reclassificada para o nível grave (cor laranja), depois de estar um longo tempo na vermelha, a gravíssima, no mapa da matriz de classificação do potencial de risco, avaliado pela Secretaria de Estado da Saúde. A região da Serra está em nível grave juntamente às regiões do Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Extremo Oeste, Extremo Sul e Laguna. As regiões de Xanxerê, Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí e Oeste sofreram agravamentos nos índices e passaram para o nível gravíssimo (cor vermelha).

A Matriz de Risco Potencial, divulgada nesta quinta-feira pelo Governo de Santa Catarina e Secretaria de Estado da Saúde (SES) classifica dez das 16 regiões de saúde catarinenses como em alerta gravíssimo (cor vermelha) para transmissão do novo coronavírus. No boletim anterior eram 12 locais neste patamar. As outras seis regiões estão em estado grave (cor laranja).

Em Lages, esta sexta-feira (8 de janeiro), teve mais uma noite de abordagens, pela Força de Segurança (Defesa Civil), para fiscalização em estabelecimentos comerciais, como bares, restaurantes, lanchonetes, atacadistas, supermercados, mercados, parques e praças públicas e igrejas, verificando-se a obediência e o cumprimento das medidas sanitárias de prevenção a novos casos de contágio pelo novo coronavírus, gerador da doença Covid-19, a exemplo do uso de máscara de proteção facial e de álcool gel e distanciamento social de pelo menos 1,5 metros entre as pessoas para evitar aglomerações.

As vistorias acontecem às sextas-feiras, sábados e domingos, geralmente no período entre 18h30min e 23h. Nos demais dias da semana, denominados dias úteis, a Defesa Civil atende a denúncias com logo posterior verificação.

Além destes locais, a Defesa Civil transita pelo Centro e pelos bairros de Lages, averiguando o comportamento das famílias nas residências perante as reuniões em casa, uma das preocupações diante das festas "clandestinas", e principalmente com a passagem das festividades e eventos de final de ano (Natal e Réveillon), com ênfase para as residências que receberam familiares e parentes de cidades de fora, e em pontos turísticos onde, normalmente, se recebe grande contingente de visitantes e turistas para passeios, como o Salto Caveiras. Estão permitidos encontros de no máximo oito pessoas nas moradias. O trabalho da Força de Segurança não parou no final de 2020, não houve recesso. "Nós nos solidarizamos com as famílias dos 272 serranos que faleceram em decorrência desta triste e trágica doença. Nosso apelo é que as pessoas se preservem, tenham cautela no dia a dia e resistam às falhas que podem prejudicar a si mesmo e ao próximo. Sejamos empáticos e que com todo o respeito coletivo possamos sair deste quadro com a oferta da vacina a nossa população e retomarmos nossa rotina normal saudáveis", prospecta o prefeito Antonio Ceron.

Originalmente, a Força de Segurança é formada por órgãos estaduais e municipais de segurança, proteção, ordem e sanitarismo (Defesa Civil, Diretoria de Trânsito - Diretran, Vigilância Sanitária, Polícia Militar - PM, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros).

Desde o mês de novembro a Defesa Civil Municipal está à frente desta mobilização, porém, vale explicar que ao sinal de irregularidades, um ou mais dos demais órgãos integrantes da Força de Segurança é/são acionados, de acordo com a competência do assunto da infração. A intenção durante estas rondas é fazer a parada de viaturas e os agentes de Defesa Civil verificarem a situação da utilização dos locais, orientando clientes, funcionários e proprietários.

Se souber de algo que ameace a saúde, denuncie

O número de plantão para recebimento destas queixas é (49) 98406-4037 e através do número 199 é possível efetuar denúncias de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. "Existe um número pequeno de pessoas que acreditam que já está tudo normal e outro percentual que considera não existir a pandemia. Percebemos, com o passar dos meses, que há estabelecimentos que melhoraram seu sistema de atendimento frente à pandemia, compreenderam bem a necessidade urgente de adaptação. No início desta agitação mundial não se sabia ainda o que fazer, hoje sabemos, mas ainda assim aprendemos mais todos os dias", analisa o secretário executivo interino de Defesa Civil, Luiz Henrique de Souza.

Cinco mil supervisões em nove meses

No começo da pandemia, em março, até dezembro de 2020, a Força de Segurança atuou em mais de 40 finais de semana, totalizando aproximadamente cinco mil visitas e, em parte destas, foram geradas notificações, aplicações de multa ou interdições em decorrência de fatores, como descumprimento das regras da pandemia e alvarás de localização e funcionamento vencidos. "Nós agradecemos à comunidade pela organização e pelo carinho com que tem nos recebido. A Defesa Civil está sempre em alerta e pede às pessoas que se cuidem e mantenham foco nas medidas de prevenção a novas contaminações, pois a pandemia continua perto de todos nós. Temos de lutar para coibir novos casos, internações em enfermaria e em leitos de UTI, temos todos de lutarmos pela vida e para vencer e estarmos perto das nossas famílias com saúde e prosperidade", aconselha o secretário executivo interino. A Força de Segurança segue seu trabalho e está à disposição para sanar dúvidas pelos números da Defesa Civil: 3019-7477-3019-7479.

Texto: Daniele Mendes de Melo


Imagens


EDITORIAS

14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina