Lages dispõe de tipos distintos de testes para exatidão do diagnóstico da Covid-19

Informação nunca é demais: população deve buscar estar atualizada em relação à pandemia do Coronavírus a partir de meios de comunicação confiáveis e portais oficiais, como o https://www.lages.sc.gov.br/lages-contra-o-coronavirus/

Os testes para detecção ou eliminação da suspeita da presença do novo Coronavírus organismo possuem especificidades para suas aplicações. A Secretaria Municipal da Saúde disponibiliza os testes de RT-PCR, antígeno para Covid e sorologia IgM e IgG, além de tomografia de tórax e laboratórios de forma geral à população.

Não é qualquer sintoma desconexo que faz com que um paciente seja submetido a algum dos testes para o novo Coronavírus no Centro de Triagem para a Covid-19, pois é indispensável a apresentação dos sintomas sugestivos de síndrome gripal. Os principais sintomas leves de possível Covid-19 são febre, tosse seca e cansaço. Sintomas moderados são dor de garganta, dor de cabeça, diarreia, dor muscular e perda do olfato ou paladar. Sintomas graves são dificuldade para respirar, dor ou pressão no peito e perda da fala. Após a apresentação de sinais então será realizada investigação do caso e possivelmente exame se o paciente estiver ainda no tempo considerado correto. Caso sejam fechados outros diagnósticos, como infecção de garganta bacteriana e crise de enxaqueca, não há necessidade, de acordo com o diretor técnico. 

Os testes rápidos somente podem ser realizados acima de oito dias de sintomas, o que o torna inviável para investigação. "Temos testes mais precisos e específicos conforme o tempo evolutivo", aponta o diretor técnico do Centro de Triagem para a Covid-19, Leonardo Coelho, que argumenta, ainda: "Estamos realizando estes testes de forma gratuita. O que ocorre é que estes exames só podem ser feitos em pacientes sintomáticos". 

Desde o início da pandemia era realizado somente o exame de RT-PCR (cotonete nasal), depois associou-se os testes rápidos como triagem geral da população em meados de junho e, desde julho, foram contratados os exames mais específicos de sorologia e antígenos, porém, mantidos o RT-PCR, pela Secretaria Municipal da Saúde. 

Tecnicamente, nos exames de RT-PCR e de antígeno, realiza-se uma coleta de secreção do nariz com um cotonete, para procurar a presença do vírus na amostra. E no exame de sorologia é efetuada a coleta de uma porção de sangue e é realizada a análise para procurar os anticorpos, que é o sistema de defesa, contra o vírus. 

Com os kits de teste rápido é feita coleta de uma gota de sangue e o resultado já sai e é conhecido imediatamente. O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC), em Florianópolis, analisa somente as amostras de RT-PCR (Swab nasal). O tempo para análise destes testes pelo Lacen depende da demanda, geralmente média de cinco dias úteis, contudo, já ocorreram atrasos por falta de reagentes. Os materiais coletados são enviados diariamente ao Laboratório Central. 

Kits de teste rápido estão sendo disponibilizado para algumas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a equipes de enfrentamento à Covid-19, como forma de rastreio. "Na população realizamos os testes com uma sensibilidade maior, proporcionando, assim, mais segurança nas condutas ao paciente", detalha Leonardo Coelho. 

A precisão 

O percentual de eficácia pode sofrer mudança, dependendo da metodologia que é utilizada em cada um dos exames, mas em média é da seguinte forma: 

RT-PCR - Eficácia de 100% para positivo, fica pronto em cinco dias e apenas pode ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em pacientes entre o terceiro e quinto dia de apresentação de sintomas; 

Antígeno PCR - Eficácia de 97%, fica pronto em duas horas e somente pode ser feito em pacientes entre três e cinco dias de sintomas e que tenham alto risco de complicações; 

Sorologia IgM e IgG - Eficácia de 94% a 98% para IgM e entre 97% e 98% para IgG, fica pronto em duas horas e apenas pode ser feito em pacientes com mais de dez dias de sintomas

Teste rápido - Eficácia de 75% a 95% (dependendo da metodologia), fica pronto em 20 minutos e só pode ser feito em pacientes com mais de oito dias de sintomas. (Fonte: Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa - Acurácia dos testes diagnósticos registrados na Anvisa). 

Nos episódios de falso positivo que aconteceram em Lages foram feitas algumas análises, identificada uma possível falha no lote e realizada a substituição. As pessoas que tiveram os exames positivados foram chamadas para reavaliação. 

Combinação entre ciência, pesquisa e cumplicidade pela vida 

Entre as iniciativas de instituições no combate ao Coronavírus está a liderada pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, em que pesquisadores do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) desenvolveram, em parceria com outras instituições, um teste molecular inédito para diagnóstico da Covid-19, divulgado em 4 de agosto. Formulado um novo teste, mais rápido, mais simples e mais barato. 

O peptídeo desenvolvido consiste em uma molécula que reconhece o vírus e se liga a ele. Depois, acrescentaram estruturas químicas que emitem luz e deixam as moléculas com cor fluorescente. Quando elas encontram o vírus e a cor desaparece, o resultado é positivo para o novo Coronavírus. A vantagem do novo teste é que o material coletado dos pacientes não precisa passar por várias análises. A força-tarefa inclui uma equipe formada por especialistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e Instituto Senai de Inovação Química Verde. 

E o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Lages, junto a outras entidades, desenvolveu a fabricação de um respirador mecânico/artificial. Esta se trata de uma parceria entre o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), Senai, Associação Empresarial de Lages (Acil) e Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), e foi apresentada em 24 de agosto, um protótipo de um ventilador pulmonar que poderá ser usado como suporte respiratório a pacientes hospitalizados. Além destas, várias instituições têm doado materiais, como álcool, máscaras, aventais descartáveis, cobertores, roupas de cama e respiradores ao Centro de Triagem. 

Texto: Daniele Mendes de Melo

Imagens


EDITORIAS

14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina