Protesto em apoio a Mak reuniu dezenas de pessoas

Passeada pacifica em apoio ao morador do Bairro São Francisco aconteceu no sábado

Dezenas de moradores dos Bairros São Paulo e São Francisco em Lages foram as principais ruas destas comunidades na tarde de sábado (23) protestar e pedir a soltura do jovem, Marques Schumaker Ramos, 36 anos conhecido como Mak. 

Munidos de faixas, cartazes, roupas e balões brancos familiares, amigos e conhecidos do jovem iniciaram a passeata saindo defronte ao Parque Orion pela Rua Heitor Vila Lobos e de forma ordeira foram até o pátio da Igreja Católica São Francisco aonde de mãos dadas foi rezado um pai nosso pela vida e soltura de Mak. 

Arlindo Celito Pereira, 52 anos proprietário de um bar no Bairro São Paulo onde ocorreu um desentendimento nesta semana entre Celito e Mak contou a polícia que ele o tentou matar por motivo fútil, mas a comunidade dos dois bairros diz que na verdade a vítima da história é Mak. 

Testemunhas vizinhas ao bar de Celito contam que ele que pulou em Mak e como ele tinha nas mãos facas que iria levar para afiar acabou se defendendo dando uma facada no dono do Bar. 

Para os moradores dos Bairros São Paulo e São Francisco a prisão de Mak é injusta porque ele não tem antecedentes criminais e nestas comunidades nunca se envolveu em confusão alguma. 

Para a irmã de Mak, Helena Cleuri Schumacker Ramos ele é um jovem tranquilo que não se mete em confusão e prova disso que não tinha até o presente momento nem uma passagem pela polícia e que tudo o que ocorreu está sendo distorcido por Arlindo Celito Pereira dono do bar. 

Joel de Oliveira o popular Micuim que é morador do Bairro São Francisco e ex - presidente da associação de moradores que congrega estes dois bairros disse a reportagem de O Momento que as pessoas que não conhecem o Mak, só ouviram a versão do outro lado e agora podem ver o quanto Mak é querido nos dois bairros. "O Mak é um cidadão de boa índole, educado, trabalhador ou se defendia ou morria e cremos todos que a logo a verdade virá átona  e ele estará livre" detalha o morador Joel Micuim.   

Ieda Paes que é moradora também desta comunidade clama por justiça em favor de Mak. "Peço a Deus que seja feita justiça para esse rapaz porque ele é inocente, ele foi atacado indo para o trabalho na verdade ele é ficha limpa, o Mak não é bandido ele é pessoa do bem" diz Ieda Paes moradora do Bairro São Francisco. 

Ivania Lourenço que faz parte do Conselho Pastoral Comunitário - CPC da Igreja Católica São Francisco outra liderança destas comunidades fez questão de conversar com a reportagem de O Momento e disse que este protesto é valido porque é para ajudar uma pessoa que não é bagunceiro e o Mak é sim uma pessoa do bem e não incomoda ninguém. 

A mãe de Mak uma senhora que tem 80 anos de idade era cuidada pelo filho e esta sofrendo e diz que o filho esta sendo injustiçado. 

Na próxima semana o advogado Regis Ricardo que já está atuando no caso deverá pedir o habeas corpus na busca de reverter às versões que segundo ele foram truncadas já que somente um lado foi ouvido no caso.

Imagens

EDITORIAS

14322344777940.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina